recollection lab.

Scroll to Info & Navigation

Para beber, para tingir:
Manhãs chuvosas são feitas para chá e vice-versa, certo!? Só que hoje além de beber o meu tradicional chazinho preto resolvi que era hora de tentar algo que vinha pensando a tempos: tingimentos naturais.
Começando pequeno, peguei uma pecinha de renda (aquela florzinha da foto) e depois de molhar ela, coloquei em água quente, o suficiente pra cobrir ela com um sachê de chá preto, esses do mercado mesmo.
Depois de deixar descansar um tempo, o resultado é uma cor lavada (que eu amo!) marrom clarinha. Logo logo já mostro o resultado numa customização bem linda <3
Pra quem pretende, como eu, se aventurar nessa área depois de pesquisar um pouco vai concordar que não existem regras e/ou materiais específicos para os tais tingimentos naturais, dá pra usar desde chás até casca de cebola!! O negócio, como sempre, é experimentar. 

Para beber, para tingir:

Manhãs chuvosas são feitas para chá e vice-versa, certo!? Só que hoje além de beber o meu tradicional chazinho preto resolvi que era hora de tentar algo que vinha pensando a tempos: tingimentos naturais.

Começando pequeno, peguei uma pecinha de renda (aquela florzinha da foto) e depois de molhar ela, coloquei em água quente, o suficiente pra cobrir ela com um sachê de chá preto, esses do mercado mesmo.

Depois de deixar descansar um tempo, o resultado é uma cor lavada (que eu amo!) marrom clarinha. Logo logo já mostro o resultado numa customização bem linda <3

Pra quem pretende, como eu, se aventurar nessa área depois de pesquisar um pouco vai concordar que não existem regras e/ou materiais específicos para os tais tingimentos naturais, dá pra usar desde chás até casca de cebola!! O negócio, como sempre, é experimentar. 

boot upcycle #15:

Sim! Quando a chuvinha e/ou o friozinho apertam a gente recorre a elas.. As botinhas, principalmente as de cano curto ficam ótimas com saias e afins, logo, perfeitas pra meia estação. #ficaadica Pra dar um up no modelito cowboy da Lisi, correntes e fitas mesclando o prata com o dourado, pra ela ficar além de bafhônica, muito versátil. Como essa bota chegou aqui já “semi customizada” - a Lisi tinha cortado uma das botas já, isso é feito quando se quer que a ela fique assim, cano curto, definitivamente. Mas, se você é como eu, que curte a tradicional cowboy dá uma olhada nessa “saia para botas” bolada aqui no lab. um tempinho atrás: http://recollectionlab.com/post/41823600971/my-own-luxury-jones-okay-luxury-jones-voces #ficaadica2 =)

so chanel:

Mudança radical no casaco de couro da Carol, que já não o usava havia tempos e era tudo ou nada!

Conseguimos tudo e mais um pouco usando como acabamento por todo, o agora, casaqueto, esse aviamento que é uma fita que já vem com a corrente (comprei aqui em Criciúma na Megamix aviamentos) ótimo para finalizar peças como essa de couro que não ganham bainha alguma. 

Claro, estamos milhas longe do couture da maison francesa, mas, um ensinamento de Mademoiselle serviu muito bem nesse upcycle: assim como um clássico tailleur Chanel, que tem uma corrente junto a sua bainha para que esse tenha peso e, logo, um melhor caimento.. a fita/corrente fez esse efeito aqui. Perfection!

ripped fix:

Todas amam jeans rasgado (okay, quase todas) MAS, sabemos que existe hora e lugar - falo de lugar na calça - para ele, certo!? Em baixo da bunda/virilha não é um deles. Como lidar com aquela calça querida que rasgou onde não deveria!? Esse passo a passo é bem auto explicativo, porém, vamos lá: Corte um retalho de tecido de forro de bolsa (um algodão mais duro) um pouco maior que o rasgo indesejado. Com a cola, fixe onde o ‘tapa buraco’ deve ficar. Use a Pegamil sem medo, mas sem exageros.. Usando diretinho ela não passa para o lado certo do jeans e nem deixa durão. Mesmo assim recomendo não lavar mais a calça na maquina, ela não deixa de estar sujeita voltar a rasgar. Hora da costura! Fiz um zig zag beeeem grandão e depois o maior que os pontos da minha maquina fazem, umas duas vezes.. Pra segurar bem, uma bagunça mesmo. Depois disso, tá disfarçado, tá pronto! Claro, olhando bem de perto não é a coisa mais perfeita do mundo, MAS, quem vai olhar ali so close, hein!? O efeito desfiado é o que fica a olho nu. Tadá!

Italian essentials:

E quem aqui não ama uma boa massa ao sugo, hã? Ha um tempinho atrás descobri a tradicional chef iltaliana Marcella Hanzan e sua mais tradicional ainda - e muito prática!!!! - receita de molho de tomate. 

Virei fã desde então e, em dias como essa segunda, que fui escalada pra fazer o almoço essa opção é tiro e queda pra agradar a todos (e a cozinheira também.. que conseguiu até fazer esse post enquanto o molho depurava)

Vamos a receita:

3 colheres de sopa de manteiga (a original usa 5, mas né..)

Meia cebola (sim, a cebola deve ser cortada ao meio e vai pra panela assim mesmo, quando tenho uma cebola pequena, uso ela inteira partida ao meio)

2 latas de tomate pelado italiano

sal a gosto

E só! Para preparar coloque tudo numa panela e deixe ferver por cerca de 45min. Voilá! Melhor molho de tomate da vida! 

A receita original ensina retirar a cebola antes de servir, ela serve para dar gosto apenas, por isso não precisa ser picada.. mas nós, cebola lovers aqui de casa, amamos como ela fica desmanchando.. e lógico que vai pro prato! Buon Appetito!

pink tribal touch:

Algo drástico precisava ser feito para que essa peça voltasse a vida, concordam!? Como ela ficava um pouco grande pra sua dona.. Colete foi a solução!

Sem as mangas, sem a gola e todo trabalhado na fita étnica rosa com turquesa, em cima formando uma estampa, e nas costuras, pra tapar amarelados e ornar tudo, o colete ta prontinho pra primavera! 

wedding essentials:

Quando se economiza no vestido dá até pra pra fazer uns gastinhos extras, daqueles que a gente aproveita pra festa, e pra outras ocasiões também, claro. O meu extra ficou por conta dessa peruca de franja. Siiim! Quando me deparei com esse “cucuruto” em uma peluqueria em Porto Alegre (http://www.marryperucas.com.br/marry/) achei a solução pro meu dilema ter franja ou não ter franja, como o preço desse cabelo natural não me assustou muito ($280) achei que valia o investimento. Trouxe pra casa, cortei como eu sempre sonhei - uma franjinha alá Sienna Miller no filme Alfie - tonalizei da minha cor e agora tenho (ou não) minha franjinha.